Fertilizantes  ›   Serviço de aconselhamento  ›   Nutrientes  ›  

Fósforo

O fósforo no solo

Efeito do pH na disponibilidade de P

Efeito da fertilização com fósforo no solo

Estado da fertilização do solo

O fósforo na planta

 

O fósforo no solo

Geralmente, o teor total de fósforo nos solos é elevado. Contudo, apenas uma fracção de fósforo está directamente disponível para a planta e a maioria é adsorvida pelo solo.

 

A disponibilidade do fósforo pode ser distribuída da seguinte forma:

  • Estado solúvel (directamente disponível para a planta), como:
    • Ortofosfato na forma de H2PO4- e de HPO42-.
  • Estado instável (disponível após reposição), como:
    • Fracção P, que foi adsorvida por óxidos e hidróxidos de ferro ou alumínio, bem como por minerais argilosos.
    • Fosfatos de cálcio, magnésio, potássio, sódio e amónio, dependendo da concentração de catiões na solução do solo.
    • Fósforo fixado organicamente e facilmente solúvel.
  • Estado estável (dificilmente ou frequentemente não disponível para a planta), como:
    • Fosfato de cálcio, ferro e alumínio (inorgânico).
  • Fitatos (orgânico).

Dinâmica do fósforo nos solos

 

Efeito do pH na disponibilidade de P

A disponibilidade do fósforo no solo depende muito do valor de pH. A maior reposição ocorre a um valor de pH entre 6 e 7. O perigo da fixação de fósforo é maior com um pH mais elevado do solo. Contudo, a disponibilidade pode ser melhorada a um pH relativamente alto (7,5-8) ao adicionar matéria orgânica e a um pH alto (>8) ao adicionar S ou gesso.

 

O aumento da acidez no solo resulta no desenvolvimento do fosfato de alumínio e ferro. A disponibilidade do fósforo pode ser melhorada com a calagem do solo.

 

Efeito da fertilização com fósforo no solo

  • Criação no solo de aglomerados estáveis que melhoram a estrutura do solo.
  • Proliferação de microrganismos no solo, aumentando a sua actividade no mesmo.
  • Aumenta o teor de húmus como resultado do maior crescimento de raízes.
 

Estado da fertilização do solo

A fracção do fósforo, que é facilmente absorvida pela solução do solo, é a fracção importante para a nutrição das plantas. A análise ao solo quanto aos seus nutrientes disponíveis para a planta é uma ferramenta útil para calcular as necessidades de fertilizante. A maioria dos países dispõe de uma escala de P disponível nos solos e diferentes culturas exigem níveis de P diferentes, consoante a reacção dessa cultura ao P. É importante que o P não seja insuficiente nem excessivo, já que um excesso de P, além de aumentar o risco de lixiviação no ambiente, também pode causar problemas com a disponibilidade de micro-nutrientes.

 

O fósforo na planta

O P é maioritariamente absorvido a partir da solução do solo na forma de ortofosfato através dos pêlos radiculares. Estes pêlos radiculares também são capazes de dissolver uma proporção da fracção do fosfato instável através da excreção de ácidos. Por essa razão, um sistema radicular bem desenvolvido é essencial para a absorção do fósforo.

 

O fósforo como macro-nutriente é insubstituível na planta. É uma parte essencial dos muitos componentes para a planta e influencia todo o metabolismo da mesma.

 

Funções do fósforo na planta

  • É importante para a transferência de energia produzida quimicamente nos vários processos metabólicos da planta.
  • Tem uma função fulcral na síntese, decomposição e conversão de lípidos, proteínas, hidratos de carbono e vitaminas.
  • É um componente importante das membranas biológicas.
  • Fomenta o crescimento das raízes e dos rebentos das culturas.
  • Elevada necessidade de fósforo durante a formação das espigas e das flores, bem como para a formação de frutos e sementes (formação de fitina como reserva de P para a germinação).
  • Melhora as características de processamento e os teores de substâncias bioactivas nas culturas para alimentação e em consequência o valor biológico dos produtos.

 

Sintomas de deficiência de fósforo

  • As plantas ficam pequenas e manifestam um hábito de crescimento a prumo e mirrado, com folhas rígidas.
  • Reduz o crescimento de raízes e rebentos (sobretudo nos cereais).
  • Atraso no florescimento e no amadurecimento.
  • O sistema de transferência energética não se processa normalmente e, por isso, todo o metabolismo da planta fica comprometido.
  • Inicialmente, as folhas mais velhas podem escurecer, a seguir ficam vermelhas e acabam por morrer. A causa para estes sintomas é a acumulação da clorofila e um aumento de teor de antocianinas.
  • É frequente as folhas velhas caírem prematuramente.
  • As plantas podem ficar menos resistentes à geada.

Selecione um site