Fertilizantes  ›   Serviço de aconselhamento  ›   Nutrientes  ›  

Magnésio

Dinâmica do magnésio no solo

Fornecimento no solo

Magnésio na planta

 

Dinâmica do magnésio no solo

Além dos iões Mg2+ que se encontram na solução do solo, o magnésio ou é adsorvido no complexo de troca, tais como matéria orgânica ou partículas argilosas na fracção intercambiável, ou é fixado dentro dos cristais dos silicatos do solo. Apenas as duas primeiras fracções estão disponíveis para as plantas.

A força com que são fixados os iões de Mg no complexo de troca é relativamente pequena, devido ao elevado tamanho do ião hidratado de magnésio. Este facto resulta num aumento do risco de lixiviação, especialmente em solos com uma baixa capacidade de troca catiónica (CTC), juntamente com um pH baixo.

O magnésio estabiliza a estrutura do solo de maneira semelhante ao cálcio.

  • O magnésio disponível para as plantas derivado da meteorização dos silicatos é libertado apenas muito lentamente, ao longo de escalas de tempo geológico.
  • O magnésio existe nalguns solos de forma natural como magnesite e dolomite. A valores de pH >6, este tipo de magnésio é quase insolúvel e, por isso, indisponível.
  • Muitos tipos de solo são, por natureza, pobres em magnésio. Os solos ligeiramente texturados e ácidos geralmente não têm magnésio e, muitas vezes, o fornecimento é insuficiente para suprir as necessidades das culturas agrícolas e hortícolas.
  • A absorção de magnésio pela planta é negativamente influenciada pelas elevadas relações de K:Mg e Ca:Mg, bem como afectada por um pH baixo. Isto significa que, mesmo com elevadas concentrações de magnésio no solo, é possível uma deficiência latente ou mesmo grave de magnésio nas plantas.

O magnésio possui função importante na composição da estrutura do solo. Juntamente com outros cátions polivalentes, especialmente o cálcio, o magnésio forma pontes entre os minerais de argila carregados negativamente. Isto facilita a formação de uma estrutura de solo estável e friável, a qual irá evitar a formação de crostas superficiais. O solo cumpre o seu papel de armazenar uma grande quantidade de água disponível para as plantas e, assim, elas podem desenvolver um bom sistema radicular, capaz de consumir a água e os nutrientes.

 

Fornecimento no solo

A fracção de magnésio imediatamente disponível na solução do solo é importante para a nutrição das plantas. A análise aos nutrientes do solo pode revelar a quantidade actual no solo e possibilitar o cálculo de fertilizante necessário. A maioria dos países dispõe de uma escala do índice de magnésio com um valor recomendado para os diferentes tipos de cultura, dependendo da sua necessidade de magnésio. Estes índices são também muito influenciados pelo solo.

 

Magnésio na planta

As plantas absorvem magnésio da solução do solo como iões de Mg2+. O Mg é muito móvel na planta e é importante para o correcto funcionamento de muitos processos metabólicos da mesma.

Funções do magnésio na planta

  • O magnésio é o elemento central da clorofila e indispensável para a síntese, transporte e armazenamento de substâncias importantes como carboidratos, proteínas, gorduras.
  • Átomo central da molécula de clorofila e, por isso, essencial para a reacção da fotossíntese, que depende da luz.
  • Essencial para a síntese, transferência e acumulação de importantes substâncias para a planta, tais como hidratos de carbono, proteínas e lípidos.
  • O magnésio activa mais enzimas do que qualquer outro nutriente para as plantas.
  • Regula o equilíbrio energético das plantas, uma vez que é importante para facilitar reacções entre enzimas e ATP, o portador de energia nas plantas.
  • Influencia a síntese de RNA e, por isso, a transformação de informação genética em proteínas.
  • É um componente da pectina, importante para a estabilidade das células e de fitina, um acumulador de fosfato muito energético, extremamente importante para a germinação das sementes.
  • É parte integrante dos ribossomas e da matriz celular, contribuindo também para a estabilização das membranas celulares.
  • Participa na síntese das paredes celulares.
  • Tem características hidratantes, influenciando assim o equilíbrio hídrico e a eficácia das enzimas.
  • O magnésio e manganês aumentam a concentração de componentes determinantes, como o ácido cítrico e a vitamina C. Estes aumentam a qualidade nutricional dos legumes congelados e a resistência das batatas contra a descoloração durante a elaboração de puré e de flocos de batata para puré.

 

A deficiência de magnésio (links)ocasiona a redução do crescimento do sistema radicular.

O magnésio também é responsável pelo transporte de carboidratos para os drenos. Os foto assimilados, assim como os carboidratos armazenados provisoriamente nas folhas são mobilizados com a ajuda do magnésio, transportados para grãos, tubérculos ou espigas e utilizados para formação da produção.

O magnésio estimula o preenchimento dos grãos na espiga do milho. Em situações de deficiência de magnésio (links), parte dos grãos podem atrofiar, devido ao transporte insuficiente de carboidratos para as espigas.

No trigo, o fornecimento adequado de magnésio aumenta o peso de mil grãos e, portanto, a produtividade. Fonte: Ceylan et al., 2016, Plant and Soil

O magnésio protege a planta dos estresses

As plantas que são deficientes em magnésio são mais sensíveis à seca, altas temperaturas e a  exposição ás altas intensidades luminosas com relação ás plantas com adequado fornecimento de magnésio.

Estresse pela seca: o magnésio protege a planta através do crescimento das raízes e possibilita assim o acesso ao suprimento de água em camadas mais profundas do solo.

Altas temperaturas e luminosidade: as altas temperaturas proporcionam o maior crescimento das plantas e aumenta a demanda de magnésio, o que resulta no surgimento de sintomas de deficiência nutricional do elemento. Pesquisadores acreditam que a elevada sensibilidade de plantas com deficiência de magnésio em situações de altas temperaturas e estresses provocado pela alta intensidade luminosa também podem ocasionar aumento na concentração de radicais de oxigênio nas células das folhas. O processo fotossintético é prejudicado pelas altas temperaturas devido à falta de magnésio, e assim o excesso de energia luminosa conduzirá a formação de ligações agressivas de oxigênio, as quais irão prejudicar as células e consequentemente ocasionar a morte celular, resultando em necroses

Milhos com deficiência de magnésio (-Mg) apresentam crescimento nitidamente inferior quando comparados com o crescimento de plantas com adequado suprimento de magnésio (+Mg). Em temperaturas acima de 35 °C, o efeito é ainda maior.

Na sombra, folhas com baixo fornecimento de magnésio não demonstram sintomas de deficiência. Contudo, necroses ocorrem com o aumento da incidência luminosa.

Sintomas de deficiência de magnésio

  • Os sintomas de deficiência ocorrem primeiro nas folhas mais velhas, apresentando-se em manchas cloróticas entre as nervuras das folhas.
  • Em caso de períodos de deficiência prolongada, ocorrem necroses e descoloração vermelha nos caules.
  • Toda a planta parece murcha e mole durante a radiação solar intensa, semelhante aos sintomas resultantes de deficiência de K. Este efeito é atribuído a um desequilíbrio hídrico na planta. Algumas folhas ficam com um aspecto rígido e quebradiço.
  • O conteúdo de clorofila e o número de cloroplastos na planta diminuem.

Selecione um site