Fertilizantes  ›   Serviço de aconselhamento  ›   Nutrientes  ›  

Boro

Boro no solo

Boro na planta

Excesso de boro na planta

 

Boro no solo

O teor de boro nos solos em climas húmidos varia entre 5-80 mg kg-1. Os solos arenosos normalmente têm um teor mais baixo de boro (5-20 mg kg-1) do que os solos argilosos e ricos em matéria orgânica (normalmente 30-80 mg kg-1). Nos solos salinos, a concentração de boro pode ser tão alta que pode atingir níveis tóxicos para as plantas. O boro está presente na solução do solo na forma de ácido bórico (H3BO3), que é produzido durante a meteorização da mica e da turmalina. O ácido bórico dissocia-se a um pH acima de 6,3 e a carga negativa de anião produzida é absorvida nas superfícies positivas dos óxidos de ferro e de alumínio, argilas e substâncias orgânicas, limitando assim a sua disponibilidade para a planta. Uma vez que o boro é absorvido com a água do solo, a deficiência de boro ocorre sobretudo durante os períodos de seca.

 

Boro na planta

O boro pertence ao grupo dos micronutrientes essenciais e afecta muitos processos no metabolismo da planta. As necessidades das diferentes culturas em boro varia significativamente. Por exemplo as monocotiledóneas, como os cereais, geralmente requerem menos boro do que as dicotiledóneas. Pelo que se sabe, este facto deve-se a diferenças nas estruturas da parede celular dos dois grupos de plantas. O boro é maioritariamente absorvido pelas plantas na forma de ácido bórico.

 

Funções do boro na planta

  • Fomenta a síntese de hidratos de carbono estruturais na parede celular.
  • Melhora a estabilidade e o funcionamento das membranas celulares.
  • Melhora a síntese de sacarose e o transporte de assimilados para os órgãos de armazenamento.
  • Regula a síntese de RNA, que por sua vez afeta a síntese de ácidos nucleicos e, consequentemente, das proteínas.
  • Fomenta o crescimento da planta, estimulando a divisão celular.

 

Sintomas de deficiência de boro

  • Os sintomas de deficiência são primeiro visíveis nos pontos de crescimento mais jovens.
  • Subsequentemente, as raízes e as pontas dos rebentos morrem e as folhas jovens murcham, tendo como causa provável um fornecimento inadequado de assimilados, bem como uma interrupção no fornecimento de água.
  • A seguir, o crescimento de rebentos laterais aumenta devido à falta de dominância apical.
  • A formação de flores e a fecundação são afetadas.
  • A transpiração aumenta e o equilíbrio hidrológico é negativamente afetado.
  • O desenvolvimento dos rizóbios nas raízes das leguminosas é inibido.
  • Os sintomas de deficiência típicos manifestados na beterraba e na acelga incluem coração castanho e podridão seca. Na luzerna é comum verificar-se o amarelecimento das pontas.
 

Excesso de boro na planta

  • Amarelecimento das folhas mais velhas, que resulta em necrose e tecido perfurado.
  • O pepino e as leguminosas são muito suscetíveis, uma vez que a margem entre fornecimento adequado e toxicidade é muito pequena.

Selecione um site